CONHEÇA A VLI / Portos

TIPLAM (SP)

Terminal Integrador Portuário Luiz Antonio Mesquita (TIPLAM) é um importante ativo da VLI e está localizado em Santos, região litorânea de São Paulo. Em funcionamento desde 1969, tem capacidade para movimentar 14,5 milhões de toneladas de produtos por ano, sendo 5 milhões de grãos, 4,5 milhões de açúcar e 5 milhões de fertilizantes.

O embarque de cargas realizado pelo TIPLAM é o desfecho de uma cadeia logística de alta performance criada pela VLI no Corredor Centro-Sudeste, uma rota de alta relevância para o escoamento de granéis agrícolas. Os terminais integradores de Guará (açúcar) e Uberaba (grãos e açúcar) recebem e encaminham para o TIPLAM, através da Ferrovia Centro-Atlântica, a safra das principais regiões produtoras do país como Mato Grosso, Goiás, São Paulo e Minas Gerais.

O TIPLAM conta com uma grande infraestrutura para armazenagem de produtos, carregamento e descarga de trens e navios. Uma das vantagens do TIPLAM é a sua operação de exportação ser realizada 100% pela ferrovia, proporcionando maior rapidez tanto na entrada como na saída ao terminal, eliminando gargalos.

O TIPLAM tem outros grandes diferenciais, como o fato de estar localizado na área continental de Santos, no Canal de Piaçaguera, afastado da zona urbana da cidade, o que possibilita alcançar altas performances operacionais sem provocar impactos à comunidade.

 

Ampliação

O TIPLAM recebeu um investimento de cerca de R$ 2,3 bilhões para a sua ampliação, o que foi considerada a maior obra portuária em curso no Brasil. Este aporte permitiu ao empreendimento se apresentar como uma moderna e eficiente alternativa para o recebimento de matérias-primas e o escoamento da produção agrícola do país.

Foram construídos novos berços de atracação, sendo o primeiro para embarque de açúcar, o segundo para embarque de grãos e um terceiro para a descarga de fertilizantes, além de dois novos armazéns para grãos, dois armazéns para açúcar e um armazém flex (açúcar e grãos),  novo pátio para enxofre e pera ferroviária que contorna todas as instalações.

 


Legenda:
1. Pera ferroviária
2. Moega
3. Cinco armazéns para gãos e acúcar
4. Dois pátios de enxofre
5. Dois armazéns de fertilizantes
6. Tanque de amônia
7. Quatro berços de atração de navios

 

 

 

Detalhes do porto

Berço 1 – descarga

  • DWT máximo: 67.100mt
  • LOA máximo: 200m
  • BEAM máximo: 33,0m
  • Profundidade: 9,8m
  • Calado operacional no berço: 9,8 m
  • Calado máximo no canal: 13,2m com uma maré de 1,1m
  • Calado máximo na bacia de evolução: 9,8m com uma maré de 1,1m
  • Dimensões mínimas das escotilhas: 12m x 8 m
  • Posições dos guindastes: Não no lado de bombordo
  • Taxa máxima de descarga: 1200 t / h
  • Altura máxima do convés até o topo da tampa da escotilha (m): 2,8 m

Berços 2 e 3 – carregamento

  • Projetado para operar com açúcar, soja, farelo de soja e milho.
  • DWT máximo: 90.000mt
  • LOA máximo: 230m
  • BEAM máximo: 37 m
  • Profundidade: 13,5m
  • Calado operacional no berço: 13,2 m
  • Calado máximo no canal: 13,2m com uma maré de 1,1m
  • Calado máximo na bacia de evolução: 9,8m com uma maré de 1,1m
  • Calado aéreo: 19,39 m
  • Posições dos guindastes: Não no lado de bombordo
  • Taxa máxima de carregamento: 3000 t / h
  • Peso oficial RF – Balança de terra
  • Altura máxima do convés até o topo da tampa da escotilha (m): 2,8 m

Berço 4 – descarga

  • DWT máximo: 90.000mt
  • LOA máximo: 230m
  • BEAM máximo: 32,6m
  • Profundidade: 13m
  • Calado operacional no berço: 12.0m
  • Calado máximo no canal: 13,2m com uma maré de 1,1m
  • Calado máximo na bacia de evolução: 9,8m com uma maré de 1,1m
  • Calado aéreo: 19,39 m
  • Dimensões mínimas das escotilhas: 12m x 8 m
  • Posições dos guindastes: Não no lado de bombordo
  • Taxa máxima de descarga: 1200 t / h
  • Altura máxima do convés até o topo da tampa da escotilha (m): 2,8 m

Confira o Port Guide completo aqui.

 

Dragagem do Canal de Piaçuguera

Pensar e fazer o futuro são partes integrantes da conduta do TIPLAM. Por isso, o desenvolvimento econômico está acompanhado da sustentabilidade ambiental.

Com esse pensamento e atitude, foi realizada a Dragagem do Canal de Piaçaguera, o que possibilitou a remoção 2,8 milhões de metros cúbicos de sedimentos com contaminantes que estavam em contato com o meio ambiente prejudicando a qualidade das águas e comunidade aquática, desde décadas gerados pela poluição pretérita de São Paulo e Polo Industrial de Cubatão.

Esta ação representou além de garantir a navegabilidade do local, importante acesso para a economia regional, um grande marco da conquista de recuperação ambiental do Estuário de Santos.